Carrinho de Compras

0

O seu carrinho está vazio

Voltar à loja
Close
Como ensinar as crianças a lidar com a frustração?

Ensinar os pequenos a lidar com a frustração é essencial desde a primeira infância. Isto porque, vai ajudá-los a saber gerir melhor as suas emoções perante uma dificuldade. 

Antes de ensinar as crianças a lidar com a frustração, é importante conseguir compreendê-la:


O que é a frustração?

É um sentimento associado a uma sensação de insatisfação e impotência. A frustração origina hormonas de stress, por isso o estado emocional fica semelhante aquando estamos a enfrentar um problema.


Como ajudar as crianças com este desafio?

Lidar com a frustração é algo complexo, porque mesmo os adultos poderão ter alguma dificuldade. No entanto, é fundamental ensinarmos os nossos filhos a lidar com as emoções, de forma saudável.

Para conseguir ensinar as crianças a lidar com a frustração, é necessário compreendermos totalmente o que estão a sentir e encontrar mecanismos que o ajudem a expressar o que está a sentir, para evitar frustrações.


  • Não intensifique a situação 
  • O primeiro passo para ensinar a lidar com a frustração é não demonstrá-la. Se o seu filho começar a chorar, gritar, ou espernear, não intensifique a situação, deixe-o acalmar-se primeiro e mantenha a postura para falar com a criança.


  • Ajude-o a compreender o que está a sentir 
  • Sente-se com o seu filho e pergunte-lhe o que o fez ficar assim e ajude-o a entender o que ele está a sentir: raiva, ansiedade, ou tristeza são sentimentos que podem gerar frustração. Mostre que também já se sentiu assim e que é algo que pode acontecer. Não diminua esses sentimentos.


  • Ensine técnicas para acabar com a frustração 
  • Coisas simples como rasgar um papel, fazer exercícios de respiração ou exercícios físicos são mecanismos que podem facilitar a descontração das crianças. Para além disso, deve: 

    1. Procurar a melhor solução
    2. Demonstrar o seu apoio
    3. Procurar exemplos elucidativos (por exemplo: nos desenhos animados)
    4. Não voltar atrás com a sua palavra (quando é não, é não)
    5. Não exagerar com a proteção
    6. Dirigir bem as ordens: prefira dizer “​​senta-te sossegado” em vez de “és sempre a mesma coisa! Senta-te sossegado”.

        É natural que as crianças possam ficar frustradas por encontrarem limites e por não terem tudo o que querem. Por isso, não evite este assunto, porque terá impacto na vida futura das crianças, tanto em contextos sociais como na sua gestão de emoções.

        Deixe um comentário

        Artigos Relacionados