ENVIOS GRÁTIS EM TODAS AS COMPRAS EM PORTUGAL CONTINENTAL

Alergias infantis: cuidados a ter na primavera

Com a primavera, chegam flores bonitas, vegetação exuberante, dias mais compridos e luminosos. Isto também significa que o seu filho passará mais tempo ao ar livre. No entanto, ‘nem tudo são rosas’ nesta época do ano. As alergias são o lado menos positivo da estação. Neste artigo, vamos perceber quais são as mais comuns nas crianças e os cuidados a ter.  

Quais são os sintomas de uma alergia? 

As alergias sazonais podem desenvolver-se a qualquer momento na infância ou na idade adulta, embora geralmente comecem a desenvolver-se em crianças entre os 2 e os 5 anos. As alergias podem enganar bastante no início, por serem semelhantes a uma constipação de primavera. Por isso, é importante marcar uma consulta num imunoalergologista, quando surjam os seguintes sinais:  

  • Uma história familiar de alergias ou sensibilidade da pele.
  • Congestão constante.
  • Olhos lacrimantes ou com comichão.
  • Sintomas não acompanhados de febre ou dor no corpo.
  • Uma erupção cutânea que pode aparecer em qualquer parte do corpo.
  • Um aumento considerável nos sintomas em dias de alta concentração de pólen.

O que pode causar alergias? 

Algumas árvores e plantas despoletam mais alergia do que outras. As alergias tendem a ser piores em dias de vento, quando o pólen e as gramíneas são soprados pela brisa. A febre do feno pode igualmente causar sintomas de alergia. 

Como cuidar as alergias nas crianças? 

Além dos medicamentos que o médico prescrever, também poderá adotar algumas medidas em casa para tratar alguns sintomas de alergia com segurança e eficácia:

  • Mantenha as crianças em casa, nos dias com muito pólen ou com ventos fortes.
  • Use uma solução salina para lavar as cavidades nasais.
  • Incentive banhos quentes ou tratamentos a vapor para drenar o muco.
  • Coloque um humidificador no quarto da criança.
  • Incentive o seu filho a experimentar alimentos picantes, como pimenta-cayenne, cebola e gengibre. Alimentos picantes são bons para diluir o muco e limpar as fossas nasais.
  • Incentive o seu filho a beber chá quente com mel e limão, para aliviar a congestão nasal e a dor de garganta.

Como minimizar os sintomas? 

Não é possível eliminar todos os pólenes da atmosfera, mas há medidas que ajudam a proteger e a minimizar os sintomas, nomeadamente: 

  • Consultar o Boletim Polínico, neste website: www.spaic.pt 
  • Evitar áreas de elevada polinização.
  • Programar as férias escolhendo a época e o local de modo a evitar o contacto com um pólen específico a que a criança seja alérgica.
  • Evitar atividades ao ar livre quando as concentrações polínicas forem elevadas, especialmente de manhã cedo. 
  • Sempre que viajar de carro, mantenha as janelas fechadas. Assim, poderá reduzir significativamente o contacto com os pólenes. Em casa, deverá manter as janelas fechadas quando as concentrações de pólen for elevada.
  • A utilização de óculos escuros fora de casa é uma forma eficaz de evitar queixas oculares.
  • É recomendado mobiliário simples e roupa de cama facilmente lavável em água quente, de forma a evitar a acumulação de ácaros no quarto da criança. Também deverão ser evitados tapetes, alcatifas e reposteiros pesados, peluches e muitos brinquedos acumulados no quarto e nas camas. E a humidade relativa do quarto deve ser reduzida abaixo dos 50%.
  • Nos primeiros anos de vida, dever-se-á evitar animais domésticos em casa, especialmente no quarto de dormir.
  • Evitar o fumo do tabaco durante a gravidez — o risco de asma aumenta nos filhos de mães fumadoras. Também a exposição passiva ao fumo de tabaco em casa aumenta o risco de asma e de outras doenças respiratórias nas crianças.

Uma criança alérgica será um adulto alérgico? 

Nem sempre uma criança alérgica será um adulto alérgico. Efetivamente, algumas alergias melhoram com a idade. O eczema atópico tende a melhorar com a idade, a asma e a rinite também se podem controlar com o tratamento. As alergias alimentares ao ovo e ao leite de vaca também estão entre as outras manifestações que podem desaparecer na idade adulta.

 

Fontes: 

advancecare.pt 

pediatricsoffranklin.com

 

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos