ENVIOS GRÁTIS EM TODAS AS COMPRAS EM PORTUGAL CONTINENTAL

A importância do pré-natal para os pais e para o bebé

A primeira consulta pré-natal deverá acontecer assim que a mulher descobre que está grávida. Este é o momento perfeito para o casal tirar todas as dúvidas sobre o que esperar das restantes semanas de gravidez, do parto e do pós-parto. Estas consultas são também muito importantes para detetar precocemente eventuais problemas de saúde e ajudar os pais a lidar com as inseguranças que possam surgir. Neste artigo, vamos abordar muitos outros aspetos relacionados com esta questão.

Uma consulta pré-natal de pediatria é um momento-chave para construir uma relação de confiança e empatia com o pediatra que escolheu para vigiar e promover a saúde, crescimento e desenvolvimento dos seus filhos.

Esta consulta serve para acalmar alguma ansiedade provocada pelas dúvidas que eventualmente possam pairar nas cabeças dos pais. Ficando mais esclarecidos e mais descansados vão, com certeza, conseguir aproveitar ainda melhor o momento único que estão a viver.

Quem deve ir a estas consultas?

Idealmente, todos os pais deveriam ir a uma consulta pré-natal de pediatria. Esta prática ainda não é muito comum em Portugal, mas esta consulta é particularmente importante, nos seguintes casos: 

  • Para os pais de primeira viagem
  • Para os pais em processo de adoção
  • Na gravidez gemelar (gravidez de gémeos)
  • Quando há doenças na família que possam ter repercussões no bebé
  • Na gravidez complicada
  • Nos casos previsíveis de partos prematuros
  • Quando são identificadas malformações ou outras doenças fetais 

O que é feito na consulta pré-natal de pediatria? 

A consulta pré-natal de pediatria é o momento privilegiado para os pais e cuidadores esclarecerem todas as suas dúvidas, receios e anseios relativamente aos primeiros meses de vida do bebé que vai nascer. Nesta consulta, poderão conversar com o pediatra sobre os seguintes assuntos:

  • Sono do bebé
  • Alimentação da mãe e do filho
  • Planear a ida para a maternidade 
  • Tipo de parto e as suas implicações 
  • Primeiros dias na maternidade e em casa
  • Como interpretar o choro do bebé
  • Prevenção de acidentes e segurança 
  • Vacinas
  • Gestão de ansiedades parentais 

Questões que os pais deverão colocar na primeira consulta pré-natal

Todas as questões podem e devem ser colocadas, por mais estranhas que lhe possam parecer. 

A consulta pré-natal de pediatria é uma oportunidade fulcral para planear o futuro da criança, assegurando que esta atinge o seu potencial de crescimento e desenvolvimento.

É importante que os pais façam uma lista de tudo o que pretendem ver esclarecido, para que nenhum assunto fique por abordar. Em conjunto, anotem as dúvidas. Eis algumas sugestões:

  • Quanto tempo tenho de gravidez?
  • Posso praticar exercício físico?
  • O que posso e não posso comer?
  • A que sintomas devo estar atenta para detetar possíveis complicações? Já é possível prever a data do parto?
  • Posso viajar?
  • Que cuidados tenho de ter no trabalho? Que cuidados devo ter com a pele?
  • Que vitaminas devo tomar?

Perguntas que o médico irá colocar na primeira consulta

Os pais deverão estar preparados, porque o médico obstetra também vai fazer muitas perguntas nesta consulta. 

Vai querer saber quais os antecedentes familiares da mãe e do pai e sobre a existência de possíveis doenças hereditárias. Por isso, é melhor falarem com os futuros avós e averiguar se haverá alguma história familiar de doenças que desconheçam ou simplesmente não se lembrem.

Também será útil a mãe levar uma lista do seu historial, pois o especialista de saúde também vai querer conhecer os antecedentes médicos que possam influenciar o decorrer da gravidez, como a presença de diabetes, hipertensão ou doenças da tiroide.

Nesta consulta, será avaliada a tensão arterial, o peso e, eventualmente, realizado o exame ginecológico, caso o teste de Papanicolau não esteja em dia.

Se ainda não o fez, o seu médico obstetra vai solicitar um conjunto de análises ao sangue e à urina para determinar o seu grupo de sangue, um hemograma para excluir uma eventual anemia, verificar a imunidade à toxoplasmose e à rubéola, e serologias à hepatite B e C, sífilis e ao vírus da imunodeficiência adquirida (VIH).

Periodicidade das consultas 

Na gravidez de baixo risco, preconiza-se realizar a 1.ª consulta, o mais precocemente possível e até às 12 semanas de gravidez (1.º trimestre de gravidez).

Após a primeira consulta, deverão ser realizadas consultas de vigilância, de acordo com o seguinte esquema: 

  • a cada 4 a 6 semanas até às 30 semanas
  • a cada 2 a 3 semanas entre as 30 e as 36 semanas
  • a cada 1 a 2 semanas após as 36 semanas até ao parto

Todas as grávidas, entre as 36 e as 40 semanas, devem ter acesso a uma consulta no hospital onde se prevê que venha a ocorrer o parto.

O esquema e periodicidade das consultas pré-natais podem ser acrescidos, tendo em conta:

  • Os dados da avaliação clínica e os resultados dos exames complementares realizados
  • As necessidades de cada mulher / casal
  • Os protocolos de cada Unidade Coordenadora Funcional

Apesar de haver uma indicação do intervalo de semanas em que as consultas na gravidez devem ser realizadas, a data específica pode variar segundo o protocolo da instituição de saúde onde a grávida está a ser seguida.

Boletim de Saúde da Grávida 

Na primeira consulta, a grávida recebe um Boletim de Saúde da Grávida, onde são registadas todas as observações do profissional de saúde, incluindo a data provável do parto. 

O boletim pode ser usado para informar o empregador de que está grávida. É aconselhável que a grávida se faça acompanhar do boletim para usufruir de atendimento prioritário nos serviços públicos, bem como obter isenção de taxas moderadoras nos serviços de saúde. 

As grávidas — portuguesas ou estrangeiras* que residam em Portugal há mais de 90 dias — têm direito a consultas gratuitas durante a gravidez, e 60 dias após o parto. Para isso, terão de se dirigir ao Centro de Saúde, informar que estão grávidas e pedir para serem seguidas por um médico de família. 

Tanto as mães como os pais podem faltar ao trabalho para ir às consultas pré-natais (os pais têm até 3 dispensas para acompanhar a grávida). A preparação para o parto é equiparada a consulta pré-natal.

*As grávidas estrangeiras que não sejam titulares de residência têm direito a consultas gratuitas durante a gravidez, desde que apresentem um atestado de residência, emitido pela junta de freguesia da área de residência, indicando que reside em Portugal há mais de 90 dias.

Fontes: 

hospitaldaluz

maemequer.pt

eportugal.gov.pt

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos