Dicas para ajudar as crianças a superar o medo do Pai Natal

Ainda que pareça estranho para os adultos, ter medo do Pai Natal é muito comum entre as crianças. Por isso, não estranhe se o seu filho chora ou grita, enquanto tentam tirar uma foto com o famoso velhote de barbas brancas. Neste artigo, explicamos o que poderá estar a despoletar estas reações e sugerimos formas de ultrapassar esta situação. 

Entenda os sentimentos 

O medo do Pai Natal é normal entre as crianças, geralmente entre os 2 os 7 anos (embora haja exceções). É importante ver as coisas da perspetiva do seu filho: ele pode ter medo desta figura por uma infinidade de razões. 

Algumas crianças não gostam da sua barba branca, das suas luvas ou do casaco vermelho. Outras podem ter medo do seu vocabulário diferente (Ho! Ho! Ho!) Ou do facto de ele ser uma entidade omnipresente que, de alguma forma, sabe se se portou bem durante o ano ou não. 

Muitas crianças ficam com medo simplesmente porque os adultos esperam que elas falem com um estranho e possivelmente se sentem no seu colo. 

Não force nem castigue

Não faça o seu filho conversar ou interagir com o Pai Natal. Em vez disso, ajude lentamente o seu filho a se sentir mais confortável perto dele. Fique com o seu filho a observar à distância a interação das outras crianças com o Pai Natal. Ver um irmão mais velho, amigo ou primo pode também ser uma ótima ajuda. 

O pior que poderá fazer é forçar o seu filho a sentar-se no colo do Pai Natal, para tirar uma foto. Isto poderá causar algum dano psicológico ao seu filho e, por outro lado, ficarão com uma foto dececionante. 

Respeite os desejos do seu filho e lembre-se de que esta é apenas uma fase de desenvolvimento, que será superada. 

Nunca castigue uma criança ou faça-a sentir-se mal por ter este medo ou outros. Evite humilhações ou ameaças como: “Não sejas tonto”, “Não há razões para ter medo” ou “Se não te sentares com o Pai Natal, não ganharás nenhum brinquedo este ano”. 

Em vez disso, passe-lhe mensagens de motivação de que os medos serão superados aos poucos.  

Seja o maior defensor do Pai Natal 

Antes de começar a quadra natalícia, conte histórias sobre o Pai Natal, dizendo que é um senhor alegre que entrega presentes às meninas e aos meninos de todo o mundo. Também poderá partilhar o que o Pai Natal significava para si, quando era criança. Vejam filmes apropriados para a idade ou leiam livros que retratem esta figura de uma forma positiva. E, é claro, sugira que o seu filho escreva uma “lista de desejos”, para enviar ao Polo Norte.

Estas “listas de presentes de Natal devem servir para que os pais expliquem às crianças a utilidade de cada brinquedo que pedem. Se pedirmos à criança que, da lista, vá selecionando os brinquedos que mais precisa, os pais podem ir eliminando alguns até um número mais reduzido”, aconselha o pediatra Emídio Carreira, neste artigo

Prepare ‘terreno’ 

Antes de chegar junto do Pai Natal com o seu filho, deixe-o uns momentos com um familiar, para que possa ter com uma conversa prévia com ele. Durante essa conversa, explique os medos do seu filho e dê-lhe sugestões sobre como ele pode tranquilizar o seu filho. Por exemplo, diga-lhe o nome do animal de estimação da família, fale do brinquedo ou da atividade favorita do seu filho, para que o simpático velhote possa mencioná-lo numa conversa. 

Lembre-se do lado bom deste medo 

Provavelmente, o seu filho tem medo do Pai Natal simplesmente porque ele é um estranho. Isso pode ser ótimo porque significa que o seu filho aprendeu o conceito de “perigo estranho”. Este é um bom sinal de desenvolvimento, porque mostra que a criança criou um bom vínculo com os pais e reconhece a diferença entre as pessoas que estão e as que não estão na família.

Por isso, diga ao seu filho que não há problema em falar com o Pai Natal ou sentar-se no colo, desde que esteja um adulto de confiança por perto.

Não deixe que a magia e o simbolismo da quadra se percam

Se o seu filho tem medo do Pai Natal, é provável que se sinta inclinado a revelar-lhe de que ele não é real, mas esse não é o melhor caminho. Embora possa ser tentador tentar tranquilizar uma criança ansiosa revelando o segredo, essa revelação pode não ser suficiente para suprimir os seus medos e também pode comprometer a magia do Natal. 

Converse com um médico ou terapeuta infantil sobre se dizer a verdade pode ser apropriado para o caso do seu filho. A maioria das crianças vai superar o medo aos 7 anos e, até lá, pode ter mais alguns anos para acreditar na magia. 

Também é natural que, por volta dos 5 ou 6 anos, a criança comece a duvidar da existência do Pai Natal. Nessa altura, é recomendado que os pais não contrariem a criança quando esta começar a levantar dúvidas.

Quando assim é, os pais e educadores devem explicar a verdade sobre o Pai Natal, fazendo referência ao simbolismo da bondade, generosidade, partilha e atitudes de compreensão que se associam a esta quadra, dando exemplos familiares e outros que as crianças reconheçam.

Fontes: 

bancodasaude.pt

parents.com

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos