Sugestões para ajudar as crianças a entrar com o pé direito na escola primária

O primeiro ano letivo é um momento muito importante na vida de qualquer criança. É um misto de ansiedade e entusiasmo, tanto para os filhos como para os pais. Neste artigo, encontra alguns conselhos que poderão ajudar a começar esta etapa sem percalços. 

Crie uma imagem positiva da escola 

Uma boa forma de criar uma expectativa positiva em relação à entrada para a escola primária é falar da sua experiência enquanto aluno. Conte histórias ou aspetos marcantes ao seu filho e explique-lhe a importância que a escola teve para si. 

Também é sempre bom fomentar o contacto com crianças que estejam neste nível de escolaridade, que poderão falar de todas as aprendizagens e brincadeiras. Os irmãos mais velhos têm igualmente um papel importante. Eles podem demonstrar ao mais pequeno como é andar na escola, mostrando fotos, trabalhos escolares, cadernos e manuais.

Leve a criança a conhecer a escola

Como a escola primária é bastante diferente da pré-escolar, é aconselhável levar a criança a conhecer o seu novo espaço de aprendizagem antes de as aulas começarem. 

Peça a um funcionário da escola para acompanhar essa visita e para explicar as atividades que habitualmente se realizam em cada valência: sala de aula, refeitório, biblioteca, recreio. 

Assim, a criança aperceber-se-á de que a escola, além de ser um espaço para aprender, também dispõe de equipamentos lúdicos, que poderão contribuir para muitas e divertidas brincadeiras com os outros meninos. 

Para que o seu filho fique ainda mais entusiasmado, poderá pedir a alguém conhecido que ande na mesma escola para os acompanhar nessa visita, pois é sempre importante ouvir as experiências na voz de uma criança que já passou pelo primeiro dia de aulas. 

Outra boa estratégia para preparar a criança para a entrada na escola primária será conhecer a professora antes do arranque do ano letivo. 

Fomente o gosto pela aprendizagem

Leia livros ao seu filho e explique-lhe que, em breve, será ele a ler para si. Leve a criança a bibliotecas ou a livrarias, deixando-a descobrir o mundo mágico do livro. 

Defina novas e divertidas rotinas

Para que a criança se sinta mais segura, poderá optar por criar rotinas antes de as aulas começarem. Esta adaptação deve ser feita com mais ou menos antecedência, consoante as situações. 

Se a criança alterou bastante os seus hábitos durante as férias, pode começar a adotar as novas regras logo no início do mês de setembro, com o despertador a tocar sempre à mesma hora de manhã e com idas para a cama mais cedo. 

Pode atribuir à criança a responsabilidade de gerir o seu acordar. Isso dar-lhe-á autonomia. “A partir dos seis anos, é perfeitamente possível a criança programar o seu despertador”, defende ao O Observador Magda Dias, coach e formadora nas áreas comportamentais e comunicacionais.

Nos casos em que as rotinas não mudaram assim tanto durante as férias, o importante é que, pelo menos, no fim de semana anterior ao início das aulas, a criança possa retomar os horários. 

Durante esta fase de adaptação, aproveite para estabelecer ainda outras regras, de preferência com alguma criatividade, manifestando o seu entusiasmo perante esta nova e importante etapa na vida do seu filho. 

Eis algumas dicas: 

  • Além dos horários de deitar e acordar, defina também os horários de fazer os trabalhos de casa.
  • Faça as refeições à hora estipulada, aproveitando este período para falar da escola, das novas amizades e das novas aprendizagens. 
  • Brinque à escola com a criança, mostrando os novos manuais. Aproveite alguns dos temas de que gosta, para lhe despertar o entusiasmo pelas diferentes disciplinas.
  • Reduza ao máximo a agitação a partir de uma certa hora da noite. 

Não projete a sua ansiedade na criança

A ida para a escola pela primeira vez joga com as emoções das crianças e também dos pais. Se os pais estiverem preparados e calmos, os filhos também estarão. Naturalmente que o inverso também acontecerá.  

Por isso, para preparar o seu filho, nada melhor do que se acalmar primeiro, se for esse o caso. É preciso evitar certos desabafos ao pé da criança, como “acabou-se o que era bom, agora é hora de voltar ao trabalho”. Desta forma, as crianças podem ficar com a ideia de que voltar à rotina é algo negativo.

Uma forma de evitar correrias e stresses durante a manhã é preparar a roupa e todo o material escolar, sempre na noite anterior. 

Envolva a criança na compra do material escolar

Esta pode parecer uma tarefa complexa e que poderá dar azo a birras, mas, mais uma vez, se for gerida com calma, irá correr na perfeição. 

Antes de comprarem o material escolar em conjunto, é importante definir e comunicar à criança qual o valor máximo que poderão gastar. 

Faça uma lista do que é necessário, mostre à criança as opções disponíveis e deixe-a escolher sozinha algumas coisas. 

Em casa, revejam o material e arrumem-no numa secretária de trabalho, caso já tenham uma. Se assim for, deixe a criança começar a utilizá-la, falando-lhe dos trabalhos de casa que aí irá fazer. 

Forre os manuais escolares, com a ajuda da criança, e arranje umas etiquetas bem divertidas para colarem juntos. 

Defina o cantinho do estudo 

Em pré-arranque de ano escolar, é preciso também assegurar o canto do estudo. Comece por definir qual o local mais adequado, sendo que a criança também pode dar uma opinião. 

Algumas famílias já sabem qual o sítio onde vão colocar a secretária e todo o material de estudo, por terem uma biblioteca, um escritório ou um quarto grande. 

As famílias com casas pequenas terão mais dificuldade em reservar uma área de estudo. No entanto, aos seis anos, as crianças podem muito bem estudar na cozinha, por exemplo, enquanto a mãe ou o pai preparam o jantar, com a televisão desligada.

Quando as crianças crescem, o local de estudo pode passar a ser a sala, se não houver espaço no quarto para uma secretária, sempre com a televisão e outras distrações desligadas. 

O importante é que estudem num local parecido com uma secretária. Não pode ser a mesa baixa da sala, o sofá ou a cama. 

Esteja a par de tudo desde o primeiro dia de aulas 

É normal que a criança chore nas primeiras semanas, quando os pais a deixam na escola, mesmo que todos os cuidados acima sugeridos tenham sido acautelados.

Na altura de deixar a criança na escola, mantenha a calma, explique que vai ter de ficar na escola e que mais tarde a vão buscar. Depois de se despedir, não volte atrás, mesmo que a criança fique a chorar.

Fique a par de tudo o que se passa na escola, desde o primeiro momento. É muito importante perguntar como correu o dia, consultar a caderneta do aluno, os cadernos, ver se tem trabalhos de casa para fazer. 

Também é essencial ir à escola e conhecer os professores, ir a todas as reuniões de pais, conhecer os amigos do filho e os pais desses amigos. Não se trata de “perseguir, mas sim de estarem informados”, sublinha Magda Dias, no mesmo artigo. 

Esperamos que estes conselhos lhe sejam úteis e que o seu filho entre com o pé direito na escola primária. Se desejar, conte, na caixa de comentários, como tudo correu. Certamente que a sua partilha será uma ajuda para outros pais. 

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos