ENVIOS GRÁTIS EM TODAS AS COMPRAS EM PORTUGAL CONTINENTAL

7 motivos para incentivar as crianças a montar puzzles!

Montar um puzzle é muito mais do que uma forma divertida de passar o tempo. As competências necessárias para fazê-lo envolvem aspetos essenciais para o desenvolvimento de uma criança, conforme explicamos neste artigo.

São estas as sete razões para juntar a família e a criançada à volta de uma mesa a construir puzzles: 

Os puzzles promovem o conhecimento do mundo em redor

Os motivos de um puzzle podem ser tantos e tão diferentes que, frequentemente, o único critério de escolha dos pais é o seu grau de complexidade. No entanto, o tema deveria ser escolhido tendo em atenção que pode  — e deve — ser um veículo de transmissão de conhecimento. 

Uma paisagem, uma profissão, uma situação do quotidiano, um animal, uma obra de arte, o abecedário: todas as imagens podem ser utilizadas como pretexto para explicar e ensinar aspetos do mundo que nos rodeia.

Melhoram as capacidades cognitivas

Os puzzles ajudam a desenvolver e a melhorar o raciocínio. É uma excelente forma de descobrir relações e de perceber o espaço, aumentando perceção visual e espacial.

Potenciam o desenvolvimento de capacidades motoras finas

Ao brincar com um puzzle, uma criança está, de forma divertida, a aperfeiçoar as suas capacidades motoras finas, pois essa tarefa implica pegar, apertar, agarrar, mover e manipular peças de diferentes formas. 

Estes aspetos assumem uma importância acrescida na fase em que a criança aprende a escrever, em que necessita de conseguir segurar corretamente num lápis.

Desenvolvem a capacidade de resolver problemas

Mesmo o puzzle mais simples implica trabalhar para atingir um objetivo: pensar, desenvolver uma estratégia, tentar, falhar, ter sucesso. Estes aspetos estão sempre presentes na brincadeira de juntar todas as peças, da mesma maneira que estão presentes nas situações que exigem uma resolução. 

A prática de montar puzzles acaba por deixar as crianças mais capacitadas a resolver problemas que possam surgir na sua rotina diária.

Permitem melhorar a ‘coordenação olho-mão’

Os processos de tentativa-erro presentes na brincadeira com puzzles envolvem a necessidade de coordenar a visão com a mão. E porquê? Porque é com base no que vê que a criança irá tentar encaixar cada uma das peças. 

Desenvolvem capacidades sociais

Os puzzles podem ser uma excelente ferramenta para melhorar e promover o jogo cooperativo. Ao brincar em conjunto para completar um puzzle, as crianças discutirão sobre o local certo para colocar uma peça, decidem sobre quem a colocará, partilham vitórias e apoiam-se mutuamente nas situações em que não conseguem encaixar as peças nos sítios certos, por exemplo. 

Aumentam a autoestima

Alcançar um objetivo com a resolução de um puzzle traz satisfação à criança. As sensações de realização e orgulho fornecem um impulso para a sua confiança e autoestima, preparando-a para outros desafios.

A Chuva de Amor tem uma perdição por puzzles!  

Na Chuva de Amor, somos fãs de puzzles, de tal forma que temos uma secção inteirinha com puzzles, dos mais variados temas e formatos, e para diferentes idades. Temos os puzzles mais clássicos, por assim dizer, puzzles magnéticos, sonoros, puzzles com poucas e com muitas peças. 

Para nós, os puzzles são uma verdadeira perdição, pelo que temos alguma dificuldade em destacar uns em particular. Por isso, o melhor mesmo é visitar a nossa secção de puzzles e escolher os mais adequados à idade do seu pequenote! 

Um pouco de história, para terminar 

Reza a história que o puzzle foi criado em Londres, no século XVIII, por John Spilsbury, um cartógrafo. O primeiro modelo foi um molde em madeira, com cada país e/ou continente recortado, pensado como ferramenta para facilitar o ensino da geografia às crianças e comercializado em escolas e famílias. Expandiram-se depois para outros temas infantis, como as vivências nas quintas, contos de fadas, entre outros. 

 

Fontes: 

uptokids.pt 

revista Prima 

Deixe um comentário

Tenha em atenção que os comentários precisam de ser aprovados antes de serem exibidos